terça-feira, 11 de outubro de 2011

O caso Rafinha Bastos

Rafinha Bastos, na bancada do CQC, após a exibição de uma entrevista com a cantora Wanessa Camargo, que está grávida, disse que "comeria ela e o bebê". Eu estava assistindo o programa e nem prestei muita atenção. Provavelmente estava fazendo outra coisa, como trabalhar ou navegar na Internet, típico do nosso universo multimídia. Ouvi algo do tipo "comeria", entendi que ele quis se referir a cantora como "gostosa" e pronto.
Pronto nada! O estrago estava feito. O maridão (com razão) não gostou, ela certamente também não, e começaram a mover exércitos. Resultado: Rafinha foi afastado da bancada do CQC, e dizem que ele pediu demissão da Band, alegando que não saberia mais o que dizer ou não dizer na bancada depois do episódio. Nesse ponto, concordo com ele.
O Rafinha exagerou, claro. Mas quantos exageros não se cometem em programas como CQC e Pânico, frequentemente recheados com piadas grosseiras, machistas, preconceituosas? Falar mal de político pode, claro! Gays, gordos, e outras minorias nunca são esquecidos. Mas ninguém acha ruim, porque faz parte desse tipo de humor e, quem não gosta, tem a opção de mudar de canal.
E como contornar a pisada de bola do Rafinha? Pedir desculpas no ar? Impossível, pois senão toda semana teriam que fazer dois ou três desagravos por programa, no mínimo. Afastar o humorista, como fizeram, significa admitir que realmente esse tipo de comportamento não é tolerado. Ok. Mas qual será daqui para frente? Complicado, não?
Ouvi dizer que o casal pretende processar criminalmente Rafinha por injúria. Eu, como advogado, não vejo muita chance disso prosperar. Não vi nenhuma ofensa a dignidade ou decoro da cantora. O humorista exagerou na piada e foi grosseiro. Grosseria não é crime. E vou além. Se os ofendidos não tivessem tornado pública sua indignação, o assunto teria desaparecido da mídia em uma semana no máximo, e a frase não teria passado de um breve viral na Internet. Portanto, creio que um pedido de desculpas privado, feito pelo "ofensor" aos "ofendidos" seria de bom tom. Não sei se aconteceu. Mas baixaria as tensões, diminuiria o desejo de crucificarem Rafinha, e afastaria qualquer processo criminal.
Será que esse episódio coloca esse formato de humor em xeque, ou não passará de um fato isolado, apesar dos desdobramentos, que ainda não sabemos como irá terminar?
Para ser sincero, eu vejo tudo isso como um grande exagero...

terça-feira, 27 de setembro de 2011

A vida em um tablet

Eu, como mero mortal neste mundo capitalista, acabei me rendendo ao modismo dos tablets. Mas nao foi pelos encantos de um ipad, ou galaxy tab, ou xoom. Minha escolha foi um coby kyros 7024, que tem (quase) tudo o que os outros tem, por um preco bem mais acessivel. Assim, o risco de prejuizo em caso de arrependimento seria menor.
O kyros chegou faz uma semana. Tive algumas dificuldades, para configurar o market original do android (ele vem com a versao 2.2), e para configurar os servicos do google, como gmail e agenda. O market eu consegui, a agenda tambem. O gmail foi parar no dolphin, um navegador bem interessante. Gostei tanto que estou usando tambem para acessar o twitter e o facebook, e nao deve nada para os apps nativos.
Nao instalei muita coisa ainda pois meu cartao mini sd de 16gb esta preso nos correios por causa da greve. Mesmo assim, o angry birds seasons e o tunein radio ja estao aqui. O processador e rapido. Estou digitando nele, e a tela, ainda que resistiva, da conta do recado. Faltam os acentos no teclado. Mas da pra escrever textos curtos. Internet, so por wifi, ja que nao tem 3g ou bluetooth. Ainda nao consegui compartilhar o 3g do celular. Coisas do android. Mas jaja aparece um app. Para quem curte ebooks, a leitura de pdf, pelo adobe, e boa. Epub ainda nao sei. Dizem que a tela do ipad e melhor pra leitura, mas enfim...
Ate agora, mais pros do que contras para este brinquedinho que meu filho batizou de celular gigante, hehehe. Porem, nao o vejo como substituto dos pcs ou notes. Cada macaco no seu galho, ao menos por enquanto....
Quem quiser saber mais sobre o kyros, vale a pena dar uma xeretada no youtube.

terça-feira, 3 de maio de 2011

EUA, Bin Laden e Obama

Os EUA anunciaram a morte de Osama Bin Laden, acusado de ter sido o mentor dos terríveis atentados de 11 de setembro de 2001. Diga-se de passagem, ele nunca negou tê-lo sido.

Em nome da "liberdade" e da "democracia", os EUA invadiram o Afeganistão e o Iraque. Depuseram os Talebãs. Mataram Saddam Hussein. Agora matam Bin Laden e jogam seu corpo ao mar. Sem julgamento e sem direito à defesa. Nenhum respeito às leis.

O país que se intitula "a maior democracia do mundo", e deveria dar o exemplo, não fez nada mais do que praticar o "olho por olho, dente por dente". Vingança.

Barack Obama mostra que não é nada melhor que seu antecessor.

O "fantasma" de Bin Laden está hoje por todos os lados, com o mundo temeroso por novos ataques terroristas. Que vinguem a vingança.

Será que não conseguimos ser melhores que isto?

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Mundo que gira

Há mais de um mês não escrevo aqui. Creio que faltou inspiração, assunto, e a concorrência anda grande. Nem o facebook, o preferido da vez, tem tido muita atenção. Ando mais introspectivo.
Hoje, depois de ver o blog de uma amiga, resolvi dar uma passada por aqui, tirar o pó, etc. Até que descobri no blogger uma aba com as estatísticas de visitas. Vejam só a surpresa:

Nos últimos 10 meses o blog foi visitado por pessoas da América do Sul, Norte, Europa e Ásia. 10 países diferentes, dentre eles Arábia Saudita, Letônia e Ucrânia. Vi o que foi mais lido pelos visitantes. Nem foram tantas visitas assim, mas, puxa! O blog rodou o mundo!

Isso dá uma vontade de escrever...

Obrigado a todos!

domingo, 9 de janeiro de 2011

Felizes, sempre?

Faz uns dias que não estou muito legal e tive vontade de dividir o que estou sentindo no Facebook. Logo desisti. Facebook, Orkut, Msn, são lugares de gente feliz, de bem com a vida. Quem contraria essa regra se torna rapidamente um chato, um depressivo virtual, que ninguém quer por perto. Eu mesmo, dias atrás, quase excluí duas pessoas do meu Facebook por causa disso. "Em plena virada de ano as pessoas reclamando! Que saco!" Pensei.
Felicidade é algo para dividirmos, a tristeza e a melancolia não.
Mas por que não?
Vivemos num mundo que nos obriga a ser felizes a qualquer custo, o tempo todo, não importa o que estejamos sentindo. Temos que sorrir para tudo e para todos, como se nossas famílias saíssem de comerciais de margarina, tivéssemos o carro do ano e o melhor trabalho do mundo. "Perdeu a casa e a família na enchente? Ora, pelo menos você está vivo! Agradeça!"
Há outros que para se enquadrarem na "ditadura da felicidade" vivem na negação. Escondem, ou disfarçam seus sentimentos, tentam sublimar, substituir seus afetos, mentem para si mesmos. Trocam amores por viagens, trabalham até a exaustão, compensam com bens materiais, vivem a vida dos filhos. Fazem isso aos montes. Não seria mais fácil lidar com os sentimentos, curar, e depois seguir em frente, do que jogar pra debaixo do tapete?
Não estou fazendo uma ode à depressão, longe disso, mas felicidade 24 horas por dia, 7 dias por semana, não me parece honesto. Me perdoem as Polianas. Até porque depois da tempestade o sol sempre volta a brilhar.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Pensamentos desordenados

Seria uma poesia. Frases que vieram e se foram antes de serem escritas. No lugar, pensamentos desordenados

Histórias que caberiam em livros. Idéias em outros tantos

Livros ainda não lidos, lidos pela metade, e outros que não serão lidos

Aquele que não queria nada, e agora quer tudo

A casa silenciosa, camas vazias, amores distantes, a espera pelo sorriso do filho amado

Dias perfeitos, dias de espera. A eterna espera por um breve momento

Fotos que eternizam momentos

A música que traz a lembrança

Escreve, muda, corta, cola, troca o lugar, coloca em ordem.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Encheu o saco!

Nunca vi tanta neurose circulando pela Internet como nestas eleições. Recebi dezenas, centenas de emails com o mesmo discurso anti PT.
Pois bem. Não sou petista. Na eleição passada não votei no Lula, indignado com o mensalão. Daí a corja do PSDB, nos governos Alckmin e Serra, acabou extinguindo a carteira dos advogados do IPESP. Mais de 40 mil famílias de advogados do Estado de São Paulo foram prejudicadas. E eu, com 10 anos de contribuição, dancei junto. Não tenho a menor idéia de como será o meu futuro.
NUNCA MAIS votarei nesses dois senhores e nesse partido imundo chamado PSDB. É questão pessoal. Ponto final. Voto em quem for capaz de derrotá-los e nada vai mudar a minha opinião. Nem esses emails quilométricos, os quais, sinceramente, não me dou ao trabalho de ler. Portanto, não se deem ao trabalho de me mandar.

Esses mesmos falsos moralistas que estão fazendo circular essas correntes pela Internet parece que não se lembram da vergonha das privatizações, dos esquemas de "caixa dois" de Sérgio Motta, Mendonça de Barros. Que no governo FHC o Brasil quebrou duas vezes, batemos recordes de desemprego e as mais altas taxas de juros do mundo. Que o mensalão começou em Minas Gerais com um governador do PSDB e o último desses escândalos foi o mensalão do DEM, que apóia Serra, no DF.

A Dilma foi guerrilheira? Serra era presidente da UNE e fugiu para o Chile. Se casou com a filha de Salvador Allende e após o golpe de lá fugiu para os EUA. É melhor lutar ou fugir?

Não gostam da Dilma? Nem eu. Mas gosto ainda menos do Serra e do PSDB. Portanto, votem em quem bem quiserem e parem de me encher o saco!